segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Dica de livraria: Bertrand Livreiros

“Ser viciada em livros trouxe, para mim, como consequência, ser viciada em livrarias. Atualmente, substitui as andanças pelas ruas da cidade em busca de alguma que possua os livros que vivo a procurar pela facilidade oferecida pela era digital. Encontrei livrarias fantásticas, com enorme acervo, mas ainda assim nelas faltavam alguns itens indisponíveis, seja por falta de publicação no Brasil ou por falta de disponibilidade na livraria. Parti, então, para a busca de livrarias em outros países, e me deparei com a Bertrand Livreiros, em Portugal.

Nela encontrei o que eu buscava e conheci o que não buscava, como o autor português Miguel Real, autor de livros premiados por lá, mas desconhecido por aqui. Dele, no Brasil, encontrei apenas livros digitais, que não satisfazem meu vício, que inclui o toque e o cheiro do livro, e a consequência foi que comecei a importar da Bertrand através da Livraria Cultura, o que sai mais caro por causa do frete e do lucro auferido pela Cultura.

Em dezembro último, visitando Lisboa, tive a alegria de ir pessoalmente à Bertrand. São várias lojas espalhadas pela cidade, cuja matriz fica na rua Garret, no Chiado. Essa é considerada a livraria mais antiga do mundo em atividade, e possui um acervo valioso para quem gosta de literatura e, como eu, de história. Os livros não são caros ou, pelo menos, saem ao preço médio de um livro no Brasil, ou seja, muito mais barato que importar. O atendimento é ótimo. Infelizmente, só depois que vim embora foi que descobri que a Bertrand promove um evento que chama Ler no Chiado, que faz parte da agenda cultural de Lisboa e que reúne autores e gente do mercado editorial português para discussões literárias. Fica para uma próxima vez.


Observação: descobri que é possível comprar diretamente da Bertrand online sem necessidade de intermediação.”



Nenhum comentário:

Postar um comentário